quinta-feira, 25 de junho de 2009

Viver.


A vida é tão complexa. Você acha que arrumando novos amigos, entrará num grupo novo, num grupo onde você seja aceito, e você acha que vai encontrar a sua suposta metade. Mas talvez isso seja só um jogo da vida, colocando-o a disposição de sofrimento e de uma vida martirizada por seus próprios medos. Quando você se dá conta, sua vida não passou de uma brincadeira, um jogo que não foi jogado da maneira certa, um jogo no qual você quebrou as regras, e assim permanecemos seguindo, como sempre. Um dia você acorda e se dá conta que aqueles amigos que você sempre considerou os melhores, sempre tiveram uma metade, alguém que os completasse, que os enchesse de alegrias todos os dias, os que fizeram sorrir nos piores momentos. E enquanto esses amigos tiveram uma metade, você só foi mais um “intruso” no meio deles, aproveitando-se do carinho que eles davam à você, que nem sempre era direcionado inteiramente à você, você percebe que você está sozinho, e aquela pessoa que te completava, te deixou para trás. Por quê? Por um mero capricho? Não, porque você se desfez daquele amigo que era o único que se importava verdadeiramente com você, apenas isso. Você tem todo direito de se sentir sozinho, tem todo o direito de jogar o seu jogo do seu jeito, mais vai se dar conta que nenhum outro “brinquedo” substituirá o antigo.

2 comentários:

Letih p. disse...

Gostei Tallita. Mas eu discordo um pouco, acho que nem sempre um amor precisa substituir outro, podemos muito bem encontrar nossa 'metade' e nunca abandonar uma verdadeira amizade, porque amizades não se desfazem, dão um tempo e se for de verdade elas vão voltar.
Bjsmil

Tallita. disse...

Aconteceu uma coisa parecida comigo, e pode apostar, eu sei do que eu tô falando, mas críticas são sempre bem vindas. ;)

Postar um comentário