quinta-feira, 28 de maio de 2009

Eu vou saber, de alguma maneira.


Como me adaptar ao modo dele? Como ele se adaptar ao meu modo de ser, de viver? E se for preciso ser só a melhor amiga de novo? E se eu precisar me desapegar, deixar as lágrimas rolarem e tentar sobreviver? É impossível ter uma resposta assim, como eu posso ser tão idiota ao ponto de o deixar ir? Como um ser humano como eu pode fazer isso? Eu o amo e isso eu sei que é verdade, só tenho a impressão de fazer mal a ele, de ser tudo aquilo que ele odiou nela e estar me transformando em tudo que ele já “odiou”, talvez? Por que as coisas mudaram? Por que tudo tem que ser assim? E o pior de tudo, o que mais dói, é saber que o perco a cada minuto, saber que o perco a cada instante que invento algo, algo que o machuque, algo que me machuque, como ser assim? Uma pessoa tão idiota, inútil, ao ponto de conseguir perder tudo o que demorou tanto a conquistar? É, são muitas perguntas, umas duas ou três respostas e no fim de tudo, eu vou acabar magoando ele do mesmo modo que ela, mas por um motivo diferente, e por minhas atitudes imbecis e infantis. É isso, sumir seria o ideal, mas deixá-lo aqui eu já não sou capaz de fazer, deixar ele a mercê dela, muito menos. Uma questão de escolha, de tempo, de arrumar um modo pra viver, é isso!

2 comentários:

letih p. disse...

Lindo texto *-*
Sempre existem essas dúvidas, a gente nunca é boa o bastante... Mas tem que lutar, para pelo menos, dizer que tentou.
Bjsmil

Tallita. disse...

É verdade. ;D

Postar um comentário